fbpx
  • Consumo de energéticos causa riscos ao coração

    Consumo de energéticos causa riscos ao coração

    Um estudos feito aproximadamente com 2.055 jovens pela Universidade de Waterloo, no Canadá, mostrou que uma bebida que parece inofensiva pode fazer muito mal ao coração. 55,4% dos entrevistados relataram ter experimentado alguma reação adversa após consumir um energético. Entre os que manifestaram sintomas desagradáveis, 24,7% reportaram batimentos cardíacos acelerados e descompensados – quadro conhecido como arritmia.

    Para o cardiologista Carlos Eduardo Prado, o perigo dos energéticos, assim como tudo na vida, está relacionado à dose ingerida. “Alguns energéticos podem conter até 35 miligramas de cafeína a cada 100 mililitros da bebida. Alguns artigos avaliaram que doses de um a três miligramas por quilo corporal já causariam mudanças no organismo como alteração do sono, aumento da respiração e da frequência cardíaca”, relata.

    Doutor Carlos explica que, em baixas doses, os energéticos podem inibir o sono, aliviar a fadiga, aumentar a respiração, a frequência cardíaca e o metabolismo; o que faz com que usuários de academia procurem esses produtos para melhorar rendimento e disposição. “Em doses mais elevadas, porém, e principalmente em pessoas mais suscetíveis, podem levar ao nervosismo, insônia, tremores, desidratação, arritmias, dentre outros”, alerta.

    O perigo é ainda maior quando o álcool entra em cena. Conforme explana o especialista, tal combinação pode aumentar os efeitos deletérios ao coração, já que o álcool pode desencadear uma intoxicação do músculo cardíaco, deixando-o mais predisposto a arritmias fatais com o uso dos energéticos. “Isso sem falar da combinação com drogas ilícitas que, infelizmente, tem se tornado muito comum entre os jovens nas suas saídas noturnas”, diz.

    Segundo o cardiologista, são necessários maiores estudos sobre os energéticos para se definir melhor seus riscos e benefícios. “Entretanto, de acordo com o que temos de evidência atualmente, devemos tomar cuidado com seu uso, não só pela cafeína, mas também pelo ginseng, guaraná e outros acrescidos em alguns energéticos, potencializando os efeitos dos mesmos”, orienta. Portanto, moderação é a palavra-chave.

    Atenção aos sinais

    • Na presença de sudorese, palpitações, tonturas, dor no peito, desmaios, tremores e/ou agitação psicomotora, o uso do energético deve ser interrompido e o usuário deve procurar auxílio médico para avaliação.
    • Pessoas que já possuem doenças cardíacas tais como doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, arritmias, cardiomiopatia hipertrófica e até mesmo a hipertensão arterial, não devem fazer uso dos energéticos sob risco de piora da doença e risco de morte.

    Fonte: http://www.revistaviver.com/conheca-os-riscos-de-energeticos-para-a-saude-do-coracao/