História da Osteopatia - Pilates | RPG | Fisioterapia | Acupuntura | Espaço Físio Pilates +55 11 3681-6256
  • História da Osteopatia

    História da Osteopatia

    A profissão de Osteopatia teve início em 1874, por um médico americano, chamado Andrew Taylor Still (1828-1917), incentivando o pensamento independente e o desenvolvimento de novas disciplinas para melhorar o destino da humanidade. Na Guerra Civil Americana, ele começou um estudo empírico do corpo humano sob a premissa de que ao estudar “obra de Deus” teria uma maior compreensão de seu “Criador”.

    Desprezou as práticas comuns de médicos em 1800, acreditava que o necessário para sustentar a vida já estava presente dentro do próprio corpo. Buscou caminhos alternativos, evitando medicamentos e cirurgias para aumentar a capacidade do organismo de se curar.

    Focado na livre circulação de fluidos e dos elementos transportados, acreditava nos “bloqueios mecânicos”  que impedem o livre fluxo de fluidos, sendo a chave para a auto regulação e processos de auto cura do corpo. Aplicação desta filosofia e metodologia foi bem sucedida no tratamento de problemas músculo esqueléticos, bem como as principais doenças da época, como a tuberculose, pneumonia, disenteria e febre tifóide.

    O trabalho foi transmitido através de escritos, no entanto, ele também descreveu duas técnicas práticas principais: uma voltada para restaurar a “posição” dos ossos e restaurar o “local” dos órgãos em relação à maioria dos vasos e dos centros neurais do corpo. Estes sistemas são agora conhecidos como ajustes osteo-articulares e normalização visceral.

    A primeira escola de osteopatia foi fundada em Kirksville, Missouri em 1892, proporcionando para os alunos desenvolver outras técnicas manuais, como a terapia crânio-sacral e liberação fascial.

    Em 1910, nos Estados Unidos, passou a ser recomendado para as faculdades de Osteopatia à adotarem um sistema de ensino superior, licenciamento e regulamentação para a formação do osteopata. Por volta de 1930, os profissionais da área assumiram um modelo de educação osteopático que incorporou todas as práticas de diagnóstico e terapêuticas convencionais da medicina, incluindo farmacologia, cirurgia e obstetrícia. Por esta razão, todos os formandos de faculdades Osteopatia e universidades nos Estados Unidos são médicos licenciados e reconhecidos internacionalmente.

    Em 1917, a Osteopatia firmou-se na Europa, através de Martin Littlejohn, aluno do Dr. Still. Littlejohn fundou a Escola Britânica de Osteopatia, que permanece ativa até hoje. Na França, a origem da especialidade surgiu por meio do Major Stirling, em 1913.

    Algumas definições sobre a Osteopatia:

    Medicina natural é um termo usado para transmitir a ideia de que com um tratamento osteopático, deve ser livre de remédios e cirurgia, seguindo a filosofia de que o corpo é naturalmente capaz de se curar.

    A percepção pelo toque na Osteopatia é a habilidade de diagnosticar o estado dos tecidos e sistemas que estão sendo examinados, englobando vários aspectos sensoriais, tais como: observar a umidade, a textura, a temperatura e o movimento de maneira sutil.

    Fonte: Fisioterapia.com