fbpx
  • Paralisia de Bell: conheça os sintomas, causas e tratamento

    Paralisia de Bell: conheça os sintomas, causas e tratamento

    A paralisia de Bell provoca fraqueza súbita nos músculos faciais. Isso faz com que metade do rosto pareça caído ou inclinado. Essa condição pode afetar qualquer pessoa de qualquer idade.

    A causa exata da paralisia de Bell é desconhecida, mas acredita-se que seja o resultado de um inchaço ou inflamação do nervo que controla os músculos de um lado do rosto. Pode ser uma reação que ocorre depois de uma infecção viral.

    Para a maioria das pessoas, a paralisia de Bell é temporária. Os sintomas geralmente começam a melhorar dentro de algumas semanas, com recuperação completa em cerca de seis meses. Um pequeno número de pessoas continua a ter sintomas de paralisia de alguns de Bell durante toda a vida. Raramente, a paralisia de Bell ocorre duas vezes na mesma pessoa.

    A paralisia de Bell não é o resultado de um AVC ou um ataque isquêmico transitório(AIT). Apesar de essas doenças causarem paralisia facial, não há nenhuma ligação entre elas e a paralisia de Bell. Mas a fraqueza repentina que ocorre em um lado de seu rosto deve ser examinada por um médico imediatamente para descartar essas causas mais graves.

    Causas

    As pessoas têm um nervo facial (também chamado de sétimo nervo craniano) em cada lado do rosto. Esses nervos faciais saem do cérebro e atravessam um pequeno túnel no crânio apenas sob o ouvido.

    O nervo se divide em muitos ramos que abastecem os pequenos músculos da face que você usa para sorrir, franzir a testa, etc. Ela também fornece os músculos que você usa para fechar suas pálpebras. Algumas ramificações do nervo facial também atuam nas sensações de gosto da língua.

    Embora a causa exata da paralisia de Bell não seja conhecida, sua ocorrência tem uma forte ligação com infecções virais. Isso porque essas infecções podem fazer com que o nervo facial fique inchado e inflamado, interferindo no seu funcionamento. Os seguintes vírus são comumente associados à paralisia de Bell:

    • Herpes labial e herpes genital
    • Varicela e herpes-zóster
    • Mononucleose (Epstein-Barr)
    • Infecções por citomegalovírus
    • Doenças respiratórias por adenovírus
    • Rubéola
    • Papeira
    • Gripe (influenza B)
    • Síndrome mão-pé-boca.

    Fatores de risco

    O risco de desenvolver paralisia de Bell é maior em pessoas que tem diabetes, estão grávidas, tem alguma infecção renal ou uma predisposição genética ao problema.

    Sintomas de Paralisia de Bell

    A fraqueza da face é o principal sintoma de paralisia de Bell, e costuma afetar apenas um lado do rosto. Essa fraqueza ou paralisia normalmente é súbita, demorando poucas horas ou menos para se instalar completamente. Pode tornar-se progressivamente pior ao longo de vários dias. Os efeitos da fraqueza variam, dependendo se o nervo é parcialmente ou totalmente afetado.

    Os sintomas envolvendo a paralisia da face são:

    • O rosto fica inclinado para um lado. Quando a pessoa sorri, apenas metade do rosto pode se mover
    • Mastigar alimentos no lado afetado pode ser um problema. Alimentos podem ficar presos entre a gengiva e bochecha
    • Bebidas e saliva podem escapar pela boca do lado afetado
    • Você pode não ser capaz de fechar um olho. Isso pode causar aumento na produção de lágrima ou então olho seco
    • Você pode não ser capaz de enrugar a testa, assobiar ou assoprar
    • Você pode ter alguma dificuldade com a fala.

    Outros sintomas da paralisia de Bell incluem:

    • Perda da capacidade de sentir o sabor dos alimentos
    • Dor na ou atrás da orelha
    • Dormência no lado afetado do rosto
    • Aumento da sensibilidade ao som
    • Dor de cabeça.

    Doenças que podem ser confundidas com paralisia de Bell

    A paralisia de Bell é uma causa comum de uma paralisia facial. Menos comumente, paralisia facial é causada por outras condições que danificam ou afetam o nervo facial. Por exemplo: um traumatismo craniano, sarcoidose, doença de Lyme, tumores na orelha, tumores na glândula parótida e tumores no cérebro. Além disso, algumas pessoas que sofrem AVC podem desenvolver fraqueza facial.

    No entanto, essas condições geralmente estão associadas com outros sintomas. Isso ajuda a diferenciar os diagnósticos. Alguns desses sintomas são:

    • Em casos de AVC, outros músculos além dos faciais provavelmente são afetados, como braço ou perna
    • Em casos de tumor, os sintomas geralmente se desenvolvem lentamente (ao longo de semanas ou meses), enquanto a paralisia de Bell é súbita, geralmente “da noite para o dia”
    • Condições tais como a sarcoidose e doença de Lyme tendem a causar outros sintomas além de paralisias nervosas
    • Em particular, a paralisia de Bell é incomum em crianças menores de 10 anos de idade. Outras condições devem ser cuidadosamente descartadas em crianças que desenvolvem fraqueza facial.

    Tratamento de Paralisia de Bell

    É comum os sintomas da paralisia de Bell melhorarem sem qualquer tratamento. Mas pode levar várias semanas ou meses para os músculos do rosto ficarem totalmente recuperados. Nesse meio tempo, alguns tratamentos podem ajudar na recuperação:

    Medicamentos

    • Drogas corticosteroides, que reduzem a possível inflamação
    • Medicamentos antivirais, se um vírus é a causa
    • Analgésicos, como o ibuprofeno ou paracetamol.

    Fisioterapia

    Os músculos paralisados pela condição podem encolher e diminuir, provocando contraturas permanentes. Fisioterapeutas podem ajudar ensinando exercícios e massagem para os músculos faciais se recuperarem ou então para evitar essa complicação.

    Cirurgia

    No passado, a cirurgia de descompressão foi utilizada para aliviar a pressão sobre o nervo facial pela abertura da passagem óssea por onde atravessa o nervo. Hoje, a cirurgia de descompressão não é recomendada. A lesão do nervo facial e perda permanente de audição são os possíveis riscos associados a esta cirurgia.

    Em casos raros, uma cirurgia plástica pode ser necessária para corrigir problemas mais crônicos no nervo facial.

    Fonte: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/paralisia-de-bell