fbpx
  • Pilates melhora problemas digestivos, respiratórios e sexuais

    Pilates melhora problemas digestivos, respiratórios e sexuais

    A saúde e o bem-estar do seu corpo dependem de mais fatores do que você imagina e o comprometimento de certas capacidades físicas pode ter uma origem surpreendente. Você sabia, por exemplo, que o mau posicionamento dos pés pode afetar também o funcionamento dos seus intestinos, sua capacidade respiratória e até sua organização postural, alinhamento e simetria corporal? Você imaginaria, ainda, que a capacidade de manter uma ereção pode ser afetada por uma pisada inadequada?

    O alinhamento do corpo começa pelos pés, que sustentam a postura ereta de todo o esqueleto. Quando andamos, dependemos do apoio correto do peso: primeiro sobre o calcanhar e depois transferido para a ponta do pé, que agirá para impulsionar o corpo à frente. A força do solo, em reação à aplicada pelo pé, transmite-se ao tornozelo, joelho, quadril e à coluna vertebral. Assim, cada uma dessas articulações é “prensada” por duas forças opostas: a gravidade, que empurra o corpo para baixo, e a ação da musculatura da perna e do pé, que leva o corpo para cima, posicionando joelho, quadril e coluna vertebral corretamente para suportar a tensão.

    Os pés ocupam, então, um papel fundamental para centralizar as linhas de passagem dessas forças físicas. Eles cumprem a mesma função que os alicerces em uma casa, determinando o bom funcionamento das demais articulações do corpo em oposição à gravidade. E atenção: o desalinhamento das articulações pode provocar o pinçamento de determinados nervos que controlam diversas funções corporais, como digestão, respiração, excreção e reprodução. Isso explica como o mau posicionamento dos pés pode estar na base de problemas digestivos, respiratórios e até mesmo sexuais.
    Prisão de ventre, incapacidade de manter uma ereção, perda de força e de precisão nos movimentos controlados por um nervo motor e a chamada “ciática” – decorrente da pressão sobre o nervo ciático, ligado aos membros inferiores e à região lombar – são exemplos de dificuldades que podem estar relacionadas ao pinçamento de alguns nervos.

    A atenção que Joseph H. Pilates, criador da Contrologia (Pilates), dava aos pés é totalmente justificada pelos conhecimentos atuais das neurociências. A estrutura do sistema nervoso explica a relação entre a postura, o funcionamento dos órgãos internos, a capacidade de movimento, a sensibilidade e os estados psicológicos.
    Devido à importância deles, o trabalho do Autêntico Método Pilates, que é um Método de Condicionamento Físico e Mental completo que melhora o estado geral de saúde, desenvolve o corpo uniformemente, corrige postura, revigora a mente e restaura a vitalidade física, se inicia justamente pelos pés. Após avaliar o tipo de pé (plano, cavo ou normal), a forma da pisada (pronada, supinada ou neutra) e possíveis alterações anatômicas (joanetes, dedos em garra, pé rígido e circulação deficiente), começam a ser feitos exercícios chamados de Pré-Pilates para corrigir alterações e anomalias, aliviar as dores, melhorar os apoios da pisada e, consequentemente, a postura.

    Outro problema que pode ser tratado com o Pilates é o Neuroma de Morton, que é um espessamento do nervo interdigital, que passa entre os dedos do pé, e se caracteriza por dor no antepé que melhora após a retirada dos sapatos e massagem no local. Com a prática, é possível relaxar a região afetada e alongar a musculatura envolvida, visando uma descompressão do nervo interdigital e um alívio da dor.

    Como ele incide de 8 a 10 vezes mais em mulheres, acredita-se que sua causa esteja relacionada ao uso de sapatos de salto alto e de bico fino, que aumentam a pressão na cabeça dos metatarsos, provocam a redução do espaço entre eles, o pinçamento das estruturas internas e o crescimento do nervo interdigital, o que piora a compressão. Outras causas associadas ao aparecimento do Neuroma de Morton são: prática de esportes de alto impacto, como corridas; uso de calçados inadequados; alteração da anatomia dos pés, como pés planos (chatos); presença de joanetes e dedos em garra; e traumas na região que causem lesão, inchaço e compressão do nervo.
    Fonte: Revista Pilates