fbpx
  • Vacinação de sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral) entenda como funciona

    Vacinação de sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral) entenda como funciona

    A vacina contra sarampo, caxumba e rubéola (vacina tríplice viral) é uma combinação de vírus vivos atenuados contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, apresentada sob a forma liofilizada, em frasco-ampola com uma ou múltiplas doses. Todos os três componentes desta vacina obrigatória são altamente imunogênicos e eficazes, dando imunidade duradoura por praticamente toda a vida. A proteção inicia-se cerca de duas semanas após a vacinação.

    O sarampo é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus chamado Morbillivirus. A enfermidade é uma das principais responsáveis pela mortalidade infantil em países do terceiro mundo e causa de surtos em países desenvolvidos onde a cobertura vacinal não é alta

    A caxumba é uma doença contagiosa que provoca o inchaço doloroso das glândulas salivares. A caxumba é causada por um vírus, que se dissemina de uma pessoa para outra por via respiratória (através de gotículas ao espirrar, por exemplo) ou por contato direto com itens que foram contaminados pela saliva infectada.

    A rubéola também é causada por um vírus que se transmite de uma pessoa para outra por via respiratória. É geralmente benigna, mas, quando ocorre na gravidez, pode fazer com que o feto desenvolva a síndrome da rubéola congênita, caracterizada por uma série de malformações. Uma pessoa com rubéola pode transmitir a doença a outras pessoas desde uma semana antes do início da erupção até uma a duas semanas depois do seu desaparecimento.

    No Brasil, graças às sucessivas campanhas de vacinação e aos programas de vigilância epidemiológica, o sarampo, a rubéola e a síndrome da rubéola congênita foram recentemente erradicados. Para que essa situação se mantenha, a vacinação não pode parar.

    Indicações da vacina contra sarampo, caxumba e rubéola

    Crianças com mais de 12 meses, adolescentes e adultos devem ser vacinados.

    Em São Paulo, os bebês entre 6 meses e 1 ano devem ser vacinados também agora, durante a campanha de vacinação contra o sarampo em 2019.

    Grávida pode tomar essa vacina?

    Não

    Doses necessárias da vacina contra sarampo, caxumba e rubéola

    Crianças devem receber a primeira dose aos 12 meses e a segunda aos 15 meses de idade. Considera-se adequadamente vacinado o indivíduo que tiver recebido duas doses depois da idade de um ano.

    Pessoas que não se vacinaram quando bebês podem receber a vacina em qualquer momento da vida. Ela será ministrada em 2 doses para quem tiver até 29 anos de idade, e em dose única para pessoas após os 30 anos.

    Em São Paulo, devido ao risco de epidemia do sarampo em 2019, a primeira dose foi antecipada para os 6 meses.

    Administração da vacina

    A injeção é feita via subcutânea no braço.

    Quem não deve tomar a vacina contra sarampo, caxumba e rubéola

    • Antecedente de reação anafilática sistêmica após a ingestão de ovo de galinha. Entende-se por reação anafilática sistêmica a reação imediata (urticária generalizada, dificuldade respiratória, edema de glote, hipotensão ou choque) que se instala habitualmente na primeira hora após o estímulo do alérgeno (ingestão de ovo de galinha, por exemplo)
    • Gestantes
    • Administração de imunoglobulina humana padrão (gamaglobulina), sangue total ou plasma nos três meses anteriores
    • As vacinas com vírus vivos atenuados não devem ser aplicadas em pessoas imunodeprimidas.

    Efeitos adversos possíveis da vacina tríplice viral

    Febre e erupção cutânea de curta duração, ocorrendo habitualmente entre o quinto e décimo dia depois da vacinação.

    Fonte: Minha Vida